MUSTELÍDEOS – SENTIDOS / CARACTERÍSTICAS / CURIOSIDADES

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

MUSTELÍDEOS – SENTIDOS / CARACTERÍSTICAS / CURIOSIDADES

Mensagem  Daniel T em Qui Abr 27, 2017 4:33 pm

Olá Amigos e Colegas!

Gostaria de dividir com vocês algumas informações interessantes a respeitos dos Mustelídeos, algumas mais recentes, outras nem tanto, porém todas fruto de pesquisas imparciais que irão ajudar alguns de vocês a conhecer um pouco melhor esses incríveis animais.

Informações essas de vários caráteres, como Sentidos (Audição, olfato, etc), Características (Força, Mordida, Capacidades defensivas, etc)  e Curiosidades espalhadas que ajudarão a todos mensurar melhor as capacidades desses animais, bem como o motivo pelo qual este que vos fala os tem com grande estima (lembrando que mesmo assim o postado é sempre com referências, de preferências a Livros, quando não links/fotos/vídeos para mostrar a minha imparcialidade).


Aqui essas informações estão de forma resumida (mas buscando sempre postar com as referências para consulta), até porque a família Mustelidae envolve quase 60 espécies de animais, logo foram postadas somente algumas espécies por “amostragem” tentando-se postar pelo menos um pouco de cada gênero, e postando dessa forma mais resumida para que este material também não se torne uma leitura muito “maçante”, por assim dizer.

Obs: Sabemos ou a maioria aqui sabe que proporcionalmente alguns Artrópodes (Insetos) são imbatíveis em geral, então, para deixar a proposta mais interessante e justa separei e considerei em alguns casos (quando envolveu comparativos) por Classe. Consideremos então à mesma envolvida com Mustelídeos, que é a Classe Mammalia / Mamíferos (aqui até mais direcionada a Ordem Carnivora, onde temos animais de maior interesse por alguns membros do grupo), para efeitos comparativos.

Obs 2: Foram inseridas para fins também de facilitar a leitura (deixar mais leve) em alguns casos algumas fotos/comentários de humor.

-------------------------------------------------------

Aqui rápidas imagens com a maioria ou boa parte dos membros de toda a família:




----------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
RAPIDA ANALISE ANATOMICA GERAL

Furão Doméstico (Mustela putorius)



Texugo Euroasiático (Meles meles)



Lontra de rio da America do Norte (Lontra canadensis)  



Comentário pessoal: Citando esses 3 mustelídeos apenas como exemplos, podemos notar claramente que entre os mustelídeos existem grandes diferenças anatômicas na questão de tamanho proporcional (tanto em comprimento, quanto em grossura) dos ossos, crânios, etc, eles possuem um item que pode ser apontado em comum em todas as espécies:

Todos são proporcionalmente atarracados (baixos e fortes), se comparados com a maioria dos outros animais do gênero Carnivora, por exemplo. Essa talvez seja o único item realmente apontável com um padrão anatômico em todas as espécies de Mustelídeos.

Num resumido comentário, o comportamento é muitas vezes intimidador, destemido e/ou tenaz utilizado como estratégia anti-predação, para a própria predação ou interações diversas, somado a seus caracteres que serão detalhados na sequência foram as principais motivações para a criação deste material.

Vale lembrar que o mais conhecido “Mustelídeo” não é um animal, mas sim uma fantasia com inspiração no animal Carcaju, Glutão ou Wolverine, o mundialmente conhecido mutante Logan:



E essa referência não é a atoa!!

Veremos a seguir que nos demais itens não somente anatômicos, como em geral, entre eles existem diferenças significativas.


--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

SENTIDOS

Embora tenham poucos estudos acerca dos sentidos (audição, visão, olfato..) podemos precisar alguns desses sentidos bastante elevados variavelmente entre as espécies de mustelídeos, aqui vão alguns:


VISÃO



Este é o sentido na maioria dos mustelídeos menos importante e desenvolvido (embora é claro, auxilie os demais sentidos), prova disso foi o caso da Ariranha semicega que caçou sozinha animais como Arraias e Pirarucus.

Fonte: http://territorioselvagem.forumeiros.com/t216-mustelideos#1146

Fotos complementares do caso:




Porém, alguns mustelídeos como os do gênero Martes (provavelmente porque a vida mais arborícola exija mais desse sentido) são descritos a terem uma boa visão. Um caso referenciado seria o da Fuinha (Martes foina): “Martes foina têm excelentes sentidos de visão e olfato. Ambos os sentidos são úteis na escuridão.”

Fonte: http://animaldiversity.org/accounts/Martes_foina/

Obs pessoal: Não encontrei mais detalhes, mas acredito que não sejam visões excepcionais como nos felídeos, mas possam se comparar a visão dos canídeos esses casos como da Martes Foina.

Obs pessoal 2: Se notarmos, proporcionalmente os olhos de mustelídeos como Martas são maiores dos que dos Texugos, por exemplo.
Foto comparativa: Meles meles e Martes foina:


Foto Adicional da Martes foina citada com os “olhos brilhantes” (explicação abaixo)


Na verdade nenhum animal possui olhos que brilham no escuro. O que acontece é que muitos vertebrados terrestres com hábitos de caça noturna (como alguns répteis e diversos mamíferos) possuem uma superfície na retina conhecida como tapetum lucidum. Essa parte do olho funciona como um espelho e ajuda esses animais a enxergarem melhor no escuro, pois reflete a luz de volta para a camada fotorreceptora, fornecendo uma segunda oportunidade para a imagem ser captada adequadamente. A composição dessa superfície refletora é bastante diversificada, mas funciona da mesma maneira em todos os animais.
Quando estão no escuro, a pupila dos bichos fica inteiramente dilatada e expõe o tapetum lucidum. Por isso, quando um feixe de luz vindo de um farol ou mesmo do luar bate em seus olhos, essa superfície o reflete - e nos causa a impressão de que seus olhos brilham.



AUDIÇÃO

Cabe antes comentarmos, para fins comparativos:
O ser humano normal médio consegue distinguir, ou ouvir, sons na faixa de frequência que se estende de 20Hz a 20.000Hz aproximadamente. (Hz = Hertz)  ou
Resumindo, um ouvido humano bem aguçado, consegue sentir e ouvir as frequências de áudio de 20Hz (Hertz) a 20KHz (Kilohertz)
.
Acima deste intervalo, os sinais são conhecidos como ultrassons e abaixo dele, infrassons.

Infrassons são ondas sonoras extremamente graves, com frequências abaixo dos 20 Hz, portanto abaixo da faixa audível do ouvido humano.
Ondas infrassônicas podem se propagar por longas distâncias, pois são menos sujeitas às perturbações ou interferências que as de frequências mais altas.
Infrassons podem ser produzidos pelo vento, tornados, erupções vulcânicas e por alguns tipos de terremotos. Os elefantes são capazes de emitir infrassons que podem ser detectados a uma distância de 2 km.

O ultrassom é usado em diversos campos. Dispositivos ultrassônicos são usados para detectar objetos e medir distâncias. Ultrassonografia é usada tanto em medicina veterinária quanto em medicina humana. Em testes não destrutíveis, o ultrassom é usado para detectar falhas em produtos e estruturas. Industrialmente, o ultrassom é usado para limpar, misturar e acelerar processos químicos. Morcegos usam ultrassom para se localizar no escuro.


Também não temos muitos dados precisos, geralmente é descrito como um sentido bom na maioria dos mustelídeos (sem detalhes), porém podemos ao menos detalhar alguns deles:

Lontra do mar (Enhydra lutris) :
“sensibilidade reduzida de alta frequência (> 22 kHz) (Ultrassônica) e de baixa frequência (<2 kHz)”  (Quilohertz)
https://www.facebook.com/groups/456629581188284/permalink/550523668465541/

Furão Doméstico (Mustela Putorius) – Citações em livros – 44 Khz (audição ultrassônica)

Fonte: https://books.google.com.br/books?id=NlG8VNAUkg8C&pg=PA26&lpg=PA26&dq=ferret+hearing+khz&source=bl&ots=f0yO42btbh&sig=ZrrExhxwneD4oMhsdbfeLVm3Hbw&hl=pt-BR&sa=X&ved=0ahUKEwjdsM3JrPzSAhXLGZAKHeTeDB4Q6AEIUDAJ#v=onepage&q=ferret%20hearing%20khz&f=false

Livro com referência a Doninha Anã (Mustela nivalis):

“Testes em cativeiro mostram que o intervalo de audição da Doninha Anã vai de 52 Hz para pelo menos 60KHZ, e é melhor em 1 a 16 KHz.”
Fonte:  The Natural History of Weasels and Stoats: Ecology, Behavior, and Management

Por Carolyn M. King,Roger A. Powell

https://books.google.com.br/books?id=5ae9c7GO_cUC&pg=PA40&lpg=PA40&dq=Weasel+Sense+of+hearing&source=bl&ots=M8vudr1FVu&sig=5jcjEkE9mIsVfzCNmmAOv8GwI6A&hl=pt-BR&sa=X&ved=0ahUKEwij6O7kqv7SAhVCjZAKHWFcC2QQ6AEILDAB#v=onepage&q=Weasel%20Sense%20of%20hearing&f=false

E por fim, um mustelídeo parece depender mais do sentido de audição, por isso tem audição ultrassônica rivalizável com a dos felídeos, este é o Mink Americano ou Visão Americano (Neovison vison), mesmo não tendo orelhas aparentemente desenvolvidas, a eficiência é rivalizável com os felídeos.

A gama de audição vai a partir de 1 kHz e maneira na gama ultra-sônica de até, pelo menos, 70 kHz); (Kilohertz)

Fonte é o Artigo postado aqui: https://www.facebook.com/groups/456629581188284/permalink/550527931798448/

Comparativo com índices muito parecidos do Lince da Eurásia: “Uma característica dos gritos e outros sons feitos pelo lince dá adicional estimativas de que o lince pode ouvir e perceber
sons até 70 kHz.” Fonte: https://www.facebook.com/groups/1627320514200192/permalink/1718757175056525/

“Quer dizer que o Mink ouve tão bem quanto eu??”




Foto comparativa - Mustela frenata e o Mink (Neovison vison) (embora o Mink aparentemente tenha orelhas menos desenvolvidas, até então é o mustelídeo que apresentou o maior desempenha ultrassônico, no entanto faltam estudos em animais como o próprio Mustela frenata, com aparentes orelhas desenvolvidas, como abaixo):  





OLFATO

Sentido super desenvolvido na maioria dos mustelídeos, tendo alguns destaque a que temos informações:

Texugo da Eurásia (Meles meles) – Acredita-se que o olfato seja cerca de 800 vezes mais desenvolvido/melhor do que o olfato humano; (fonte: Badger Behaviour, Conservation & Rehabilitation: 70 Years of Getting to Know ...  por Por George E. Pearce -

https://books.google.com.br/books?id=ppM3BAAAQBAJ&pg=PT15&lpg=PT15&dq=badger+Sense+of+smell+800&source=bl&ots=FmGc-lkuKX&sig=vHLZIlueyhuqp13duwkO_qB01UY&hl=pt-BR&sa=X&ved=0ahUKEwiAo9meuffSAhXFkpAKHQCLAxQQ6AEIKTAC#v=onepage&q=badger%20Sense%20of%20smell%20800&f=false )

Ratel ou Texugo do Mel (Mellivora capensis) O olfato dele do texugo de mel é cerca de 100 vezes melhor do que o humano. Fonte: Ultimate Honey Badger da NatGeo Wild:

http://channel.nationalgeographic.com/wild/galleries/ultimate-honey-badger/at/a-super-sniffer-2077087/

O olfato do Wolverine é “misterioso/sobrenatural”, ele pode detectar uma carcaça 6 metros (20 feets) abaixo da neve/solo.
http://www.pbs.org/wnet/nature/wolverine-chasing-the-phantom-wolverine-facts/6049/
Temos também um vídeo do Wolverine dando algumas demonstrações:


Informação bônus/curiosa: Apesar de se acreditar que as Lontras utilizem para caçar a visão e bigodes (capta vibrações dos peixes embaixo da água). Um experimento de um cientista em 2013 sugeriu que além desses, elas poderiam cheirar embaixo da água, para isso foi filmado na água turva e a noite com peixes mortos no fundo para ver se as lontras as achavam, segue link com o vídeo e resultado: http://www.nationalgeographic.org/media/sniffing-out-otter-behavior/

Obs Geral: Para fins comparativos, embora os meios de cálculos possam ser variáveis (ex, células olfativas / quantidade de genes receptores olfativos, e por isso possamos ter confusão nos dados, até porque essas medições foram muito limitadas por espécies), ao que tudo indica alguns mustelídeos superam qualquer felídeo e até mesmo canídeo no olfato apurado, ficando atrás de ursídeos (sem considerar aqueles sem dados numéricos mais “precisos” como o Carcaju/Wolverine):

http://sectionhiker.com/bears_sense_of_smell/


“o cão em geral o olfato  é 100 vezes melhor do que um ser humano. Um cão Bloodhound é 300 vezes melhor. O sentido do cheiro de um Urso é 7 vezes melhor do que um Bloodhound ou 2.100 vezes melhor do que um ser humano.”

Seguindo essa mesma linha de raciocínio, se Texugo da Eurásia (Meles meles) possui o olfato 800 vezes melhor que o humano ele também possui esse sentido 2,67 vezes melhor que o Melhor Cão Varejador (Bloodhound) !!


“Sério?? Magoei !”




Foto Comparativa do Texugo Porco (Arctonyx collaris) e do Carcaju (Gulo gulo), este segundo tendo ótimos dados já descritos, porém o primeiro com ausência de dados, mas pelo parentesco com o Meles meles e adaptação do nariz deve ser comparável ao mesmo, quem sabe até superior:


Última edição por Daniel T em Sex Abr 28, 2017 1:52 pm, editado 8 vez(es)
avatar
Daniel T
Admin

Mensagens : 1114
Data de inscrição : 28/10/2011
Idade : 32
Localização : Curitiba

Ver perfil do usuário http://territorioselvagem.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

ATLETISMO

Mensagem  Daniel T em Qui Abr 27, 2017 4:35 pm

ATLETISMO



Embora os mustelídeos tenham anatomicamente aspecto atarracado (baixo e compacto), e em consequência membros locomotores proporcionalmente curtos, eles também podem surpreender quanto a alguns aspectos atléticos. Vejamos abaixo alguns deles:



CORRIDA DE EXPLOSÃO

Notoriamente esse é o item menos desenvolvido nos mustelídeos maiores justamente pela anatomia já citada, no entanto temos alguns mustelídeos que podem surpreender:
Embora não sejam fontes fidedignas como artigos, elas se repetem, aqui vão duas delas:
“Arminhos (Mustela ermine) são predadores ferozes e pode mover a velocidades de 20 milhas (32 Km) por hora quando caça.”
http://www.snh.gov.uk/land-and-sea/managing-wildlife/orkney-native-wildlife-project/stoat-ecology/
ou
https://animalcorner.co.uk/animals/stoat/
Doninha Anã (Mustela nivalis) – também não é fonte fidedigna como artigo:
25 Kpg (25 Km/h)
https://a-z-animals.com/animals/weasel/

Comentário pessoal: Muitos desses mustelídeos do gênero Mustela conseguem compensar os membros locomotores curtos correndo com uma combinação de freneticidade/agilidade/salto e a partir de “trotes” esguios se lançando pra frente (elasticidade) lembrando leves saltos.

Aqui temos um vídeo clássico mostrando um pouco disso:

Considerando que o são animais que pesam gramas, é uma velocidade bastante considerável. Neste caso é até complicado querer fazer um cálculo comparativo e proporção, vai ficar na imaginação de cada um...



CORRIDA / DISTÂNCIA (RESISTÊNCIA)

Aqui um dado misto de corrida e distância percorrida, com dois dos mustelídeos mais simbólicos e um nem tanto:

Ratel ou Texugo do Mel (Mellivora capensis)
Colleen & Keith Begg denominado "N.A.P.A.K - The Honey Badger: The Truth Behind The Myth Part II - Article"
Destaca um belo trecho relacionado à resistência: Comenta que os Machos de Ratel são capazes de avançar 40 km num único dia, o que é surpreendente para um animal que só chega até 30 cm de altura até o ombro.
Artigo: http://archive.li/ysBpt

Wolverine (Gulo gulo)
Wolverines são principalmente terrestres e se movem com galopes. Eles podem subir em árvores com grande velocidade e são excelentes nadadores. Seus galopes tem grande resistência, às vezes se deslocam 10 a 15 km sem descanso, apesar de sua velocidade, nessas condições provavelmente não seja superior a 15 km por hora. Eles podem cobrir até 45 km em um dia em suas atividades.
Fonte: http://animaldiversity.org/accounts/Gulo_gulo/

Marta Pescadora (Martes Pennanti)
Ecological Characteristics of Fishers (Martes pennanti) in the Southern Oregon Cascade Range (material referenciado e com gráficos e fotos)
Página 13 – “A distância máxima entre locais sucessivos (isto é, distância de mapeamento linear que
Foi inferior à distância real percorrida) foi de 17,6 km para o macho jovem e 22,2 km para o
Macho mais velho. Em ambos os casos, esses movimentos foram feitos em 48 horas.”

Adicional pessoal: Aplicando a matemática básica, da 8,8 km por dia para o macho jovem e 11,1 km por dia para macho mais velho, lembrando que esses animais pesam entre 2 a 5 kg geralmente.

Fonte: https://www.fs.fed.us/pnw/olympia/wet/team-research/for-carnivor/aubryandraley-fisher-report-july2006.pdf


Comparativos com outras espécies de animais, neste caso escolhidos a dedo por também serem mamíferos da Ordem Carnivora e tidos como animais Andarilhos (lembrando que podem ter casos excepcionais, mas abaixo estão as médias em maioria):

Wild Cats of the World
Por Mel Sunquist,Fiona Sunquist
Puma/Cougar - Página 256 – Citação no Novo México - 5,2 e 7,9 km em um dia e em Santa Ana do sul da Califórnia 6,4 km por dia. Uma citação de um caso de 32 km em uma única noite.
https://books.google.com.br/books?id=hFbJWMh9-OAC&pg=PA167&lpg=PA167&dq=Lynx%20They%20travel%20about%207%20km%20per%20day&source=bl&ots=Xr1P_CU29v&sig=DvAfmCpTeqGm0MUG-PqrPhkKShw&hl=pt-BR&sa=X&ved=0ahUKEwjxppmX-P7SAhWIhZAKHTAmBJ8Q6AEIJDAB#v=onepage&q=They%20travel%20about%20per%20day&f=false

Wild Cats of the World
Por Mel Sunquist,Fiona Sunquist
Lince Ibérico
Página 181
Média Machos: 8,7 km por dia
Média Fêmeas: 6,4 km por dia.
https://books.google.com.br/books?id=hFbJWMh9-OAC&lpg=PA167&ots=Xr1P_CU29v&dq=Lynx%20They%20travel%20about%207%20km%20per%20day&hl=pt-BR&pg=PA256#v=onepage&q=lynx%20They%20travel%20about%20per%20day&f=false

Wild Cats of the World
Por Mel Sunquist,Fiona Sunquist

Lince Canadense
Página 156
8 a 9 km por dia.
https://books.google.com.br/books?id=hFbJWMh9-OAC&pg=PA167&lpg=PA167&dq=Lynx%20They%20travel%20about%207%20km%20per%20day&source=bl&ots=Xr1P_CU29v&sig=DvAfmCpTeqGm0MUG-PqrPhkKShw&hl=pt-BR&sa=X&ved=0ahUKEwjxppmX-P7SAhWIhZAKHTAmBJ8Q6AEIJDAB#v=snippet&q=Lynx%20They%20travel%20about%20per%20day&f=false

Bridges: Animals of North America
Por Joy Nolan
Urso Polar – 24 Km por dia
Fonte: https://books.google.com.br/books?id=msVFGxTPkjYC&pg=PA6&dq=Bear+They+travel+about+per+day+km&hl=pt-BR&sa=X&ved=0ahUKEwiEnPPwhv_SAhXCjJAKHQMmAGQQ6AEIGjAA#v=onepage&q=Bear%20They%20travel%20about%20per%20day%20km&f=false

Polar Bears: A Complete Guide to Their Biology and Behavior
Por Andrew E. Derocher
Urso Polar (outra Fonte) - 14–18 km por dia (com regularidade)
https://books.google.com.br/books?id=aouJPNt1P4gC&pg=PT116&dq=Bear+They+travel+about+per+day+km&hl=pt-BR&sa=X&ved=0ahUKEwiEnPPwhv_SAhXCjJAKHQMmAGQQ6AEIIjAB#v=onepage&q=Bear%20They%20travel%20about%20per%20day%20km&f=false


Lobos: em média 19 km por dia (mas podendo variar de 7 a 46 km por dia)
Menção de casos exagerados (citados assim) bem maiores (como 100 km num dia) também foram descritos:

Wolves: Behavior, Ecology, and Conservation
L. David Mech,Luigi Boitani
https://books.google.com.br/books?id=_mXHuSSbiGgC&pg=PA32&dq=Wolf+They+travel+about+per+day+km&hl=pt-BR&sa=X&ved=0ahUKEwiL_t3lh__SAhWBx5AKHe-3DcYQ6AEIGjAA#v=onepage&q=Wolf%20They%20travel%20about%20per%20day%20km&f=false


Hiena Malhada (Crocuta crocuta)

Citações de casos: 27,1 Km numa noite para um clã (numa média de 6,7 km/h).
Outro caso: Em 10 horas e 20 minutos um clã foi capaz de percorrer 69,1 km.
Cita também que a distância média percorrida no Kalahari é de 33 km.
Cita uma ocasião em que um clã viajou 80 km numa noite.
E comenta sem detalhes de distâncias de até 90 km.
Larger Carnivores of the African Savannas
Por Jacobus du P. Bothma,Clive Walker
Página 179
https://books.google.com.br/books?id=DPvuCAAAQBAJ&pg=PA179&lpg=PA179&dq=Hyena+Distance+traveled+per+day+km&source=bl&ots=UpubG7VayM&sig=X4ZwCy_933NJ7ELJrKQw6-_9j_4&hl=pt-BR&sa=X&ved=0ahUKEwiPs5aKsIjTAhVIjpAKHb4TA34Q6AEIUDAI#v=onepage&q=Hyena%20Distance%20traveled%20per%20day%20km&f=false


Comentário pessoal: Embora não tenhamos as médias de Km por dia precisas para os mustelídeos listados (apenas as máximas) podemos ter algumas noções comparativas com os outros animais citados (mesmo que ali estejam descritas algumas médias apenas), mostrando que, mesmo anatomicamente com membros locomotores mais curtos (proporcionalmente), alguns mustelídeos podem mesmo assim se locomover por grandes distâncias demostrando alta resistência para corridas/andanças/passadas.

Rápida demonstração do Wolverine (Gulo gulo) “trotando” no gelo, para finalizar:



NADO E MERGULHO EM GERAL

Habilidades de nado e mergulho como a maioria deve saber estão mais presentes em animais mais adaptados a vida semiaquática como as Lontras em geral. Todavia, mesmo os mustelídeos terrestres são descritos a terem boas habilidades de nado, alguns deles, mesmo terrestres, possuem membranas interdigitais nas patas que facilitam o nado. A velocidade em si não é um fator tão dependente e determinante quanto à manobrabilidade/agilidade dentro da água, servindo bem tanto para caça como também para estratégia anti-predação. E também podemos ter algumas noções de resistência nadando/mergulhando (embora encontrei poucos dados). Mas podemos ter alguns dados sobre abaixo:

Otters: Ecology, Behaviour and Conservation
Por Hans Kruuk
Página 156
Pode-se estimar, portanto, que uma lontra-fêmea (Lontra da Eurásia - Lutra lutra) a fêmea adulta é capaz de nadar sob a água a uma velocidade de cerca de 1,5 m / s, ou 5,5 km / h, em comparação com nado das Lontras Marinhas de 0,6-1,4 m / s.

Fonte: https://books.google.com.br/books?id=Q4ASDAAAQBAJ&pg=PA156&dq=Otter+They+Swimming+at+speeds&hl=pt-BR&sa=X&ved=0ahUKEwiky8DAmYHTAhVEEpAKHZjNA24Q6AEIGjAA#v=onepage&q=Otter%20They%20Swimming%20at%20speeds&f=false

No mesmo material, mas página 14 fala brevemente sobre a Ariranha:
“...permite que as lontras gigantes nadem com uma velocidade muito impressionante, mais rápido do que eu vi outras lontras se moverem. Com essa cauda eles podem não ser tão manobráveis como os outros, mas isso poderia ser uma concessão de tempo para acelerar em rios infestados de piranhas.”
https://books.google.com.br/books?id=Q4ASDAAAQBAJ&pg=PA14&dq=giant+Otter+Swimming+at+speeds&hl=pt-BR&sa=X&ved=0ahUKEwjLio-0noHTAhUGgJAKHRIUBSYQ6AEIGjAA#v=snippet&q=speed&f=false


Southern Sea Otters Translocation (CA,OR): Environmental Impact ..., Volume 2
Página 3

“Observações feitas no Alasca mostram que as lontras marinhas tipicamente nadam a uma velocidade de 1-2,5 km / h na superfície, embora velocidades de até 9 km/h para as distâncias podem ser alcançados debaixo d'água.
Garshelis relata que uma lontra do mar do Alasca viajou 11 km (7 milhas) a uma taxa máxima de 5,5 km / h. Na Califórnia, Jameson calculou taxas médias de movimento de 0,6 km / h. (distância  de 52 km) para 3,3 km / h (distância de 75 km) para dois machos adultos que se deslocaram de grupos masculinos para áreas femininas.”
https://books.google.com.br/books?id=pi43AQAAMAAJ&pg=SA1-PA3&dq=Otter+They+Swimming+at+speeds&hl=pt-BR&sa=X&ved=0ahUKEwjg29bym4HTAhWEIZAKHf0EAp04ChDoAQgqMAI#v=onepage&q=Otter%20They%20Swimming%20at%20speeds&f=false

Mink ou Visão (Neovison vison)
Locomotion in the North American Mink, a Semi-Aquatic Mammal. II. The Effect of an Elongate Body on Running Energetics and Gait Patterns
TM Williams. J Exp Biol 105, 283-295.

“O consumo de oxigênio (VO2) do Vison aumentou de forma não linear com a velocidade de rotação na faixa de 0,70-6,40 km h-1. Uma ruptura na relação VO2 vs velocidade ocorreu em aproximadamente 3,94 km h-1”
https://www.ncbi.nlm.nih.gov/labs/articles/6619727/

Quanto a mergulhos:
Southern Sea Otters Translocation (CA,OR): Environmental Impact ..., Volume 3
Página 140
“...  estaria ao alcance de forrageiras lontras mergulhando a uma profundidade máxima de cerca de 40 metros”

Mink Americano
“O vison americano é um pequeno, semiaquático carnívoro que pode mergulhar a profundidades de 5 a 6 metros e nadar debaixo de água para até 35 metros.”
http://www.arkive.org/american-mink/neovison-vison/image-A24899.html

Quanto a tempo que aguenta embaixo da água sem respirar, uma referência:
Lontra de rio Norte Americana (Lontra canadenses)
8 Minutos
http://theriverotteresource.weebly.com/respiratory-system.html

Duas imagens comparativas (Ariranha (Pteronura brasiliensis) acima e Grisão maior (Galictis vittata)) abaixo, podemos reparar que mesmo o Grisão sendo considerado um animal terrestre, ele também apresenta nas patas as membranas interdigitais, indicando também ser um bom nadador, para exemplificar que mesmo mustelídeos terrestres podem ter boas qualidades de nado:




E uma rápida imagem de um Texugo (Meles meles) cruzando um rio  



ESCALADA

Não é surpresa que mustelídeos com vidas mais arborícola como as Martas tenham esse atributo mais desenvolvido. Todavia, não são os únicos. No caso deste item, vou utilizar mais dados práticos do que teóricos (até porque buscando não achei estudos detalhados para esses fins) apenas para nos dar menção da agilidade e velocidade de escalada:
Notem que embora as Martas não pareçam hiperativas como os mustelídeos do gênero Mustela, por exemplo, no momento certo ela utiliza de sua agilidade e velocidade, abaixo alguns exemplos:





Algumas espécies (não do gênero Martes) subindo em árvores:
Ratel



Carcaju


Texugo da Eurásia (até ele que é aparentemente mais pacato e lento possui alguma habilidade):




SALTO

Embora, assim como na velocidade de explosão não seja um item bem desenvolvido em muitos mustelídeos, alguns como o gênero Mustela podem, mesmo com os membros locomotores curtos, saltar proporcionalmente alto:

Arminho (Mustela erminea)
“...eles podem repetidamente salto três vezes seu comprimento do corpo, mesmo em neve profunda...”
http://imnh.isu.edu/digitalatlas/bio/mammal/carn/muste/ermi/ermine.htm

Exemplos práticos:




Fotos demonstrativas: Mesmo animais proporcionalmente mais parrudos como o Carcaju (Gulo gulo) podem apresentar alguma surpresa:  





AGILIDADE

Também é um item diferenciado entre as espécies e mais presente nos menores mustelídeos (ex: gênero Mustela). Exemplo mais prático, uma agilidade impressionante numa brincadeira com um animal também considerado bastante ágil, um Gato (ali também podemos ver o item acima, salto):

Outros:




Última edição por Daniel T em Qui Abr 27, 2017 4:47 pm, editado 1 vez(es)
avatar
Daniel T
Admin

Mensagens : 1114
Data de inscrição : 28/10/2011
Idade : 32
Localização : Curitiba

Ver perfil do usuário http://territorioselvagem.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

RESISTÊNCIA / FORÇA

Mensagem  Daniel T em Qui Abr 27, 2017 4:38 pm

RESISTÊNCIA



Esse é um item em comum na maioria dos Mustelídeos, o item resistência costuma ser proporcionalmente elevado em conta da pele solta dos mesmos. (Obs: mesmo sabendo que eles podem ser predados por predadores maiores, esse item ainda assim é bem destacável).
Mas mesmo este item pode apresentar variáveis entre as espécies em conta das suas adaptações específicas, tanto para caça, quanto para estratégia anti-predação.
Animais menos ágeis como Texugos e o Carcaju (comparativamente com o gênero Mustela) para compensar isso aparentam apresentar maior resistência da pele. Animais mais adaptados a dietas mais desafiadoras como o Ratel ou Texugo do Mel aparentam ter este item mais desenvolvido ainda. Por isso irei me basear neste apenas em caráter informativo:

A pele tem uma adaptação especial para suportar boas picadas de abelhas e mordidas/picadas de outros animais (como cobras peçonhentas, frequentes no cardápio). É uma pele grossa, tem cerca de meio centímetro só de pele no corpo, e em volta do pescoço é ainda mais grossa, podendo ficar em torno de 0,6 Cm ou um pouco mais.
Essa pele é “solta”, tipo um casaco, e dura feito tipo uma “borracha” o que torna difícil para um predador/agressor maior finalizar rapidamente ou matar esse animal. Essa soltura da pele permite que o Ratel possa girar sobre ela, assim contra-atacando um animal que o mordesse.

Rápido trecho de livro comentando sobre:
East African Mammals: An Atlas of Evolution in Africa, Volume 3, Part A ...
Por Jonathan Kingdon
Página: 87
“A pele é muito grossa e solta e numerosas observações têm observado que os dentes de cães fazem pouca impressão sobre ele; Este espessamento é ainda mais marcante na região da garganta onde a pele tem 6 mm de espessura.”
https://books.google.com.br/books?id=bQjh35ER6ggC&pg=PA87&lpg=PA87&dq=honey+badger+skin+mm&source=bl&ots=MI8DUMugkq&sig=lzxADY48nzeyN82y_xOGlhHLmno&hl=pt-BR&sa=X&ved=0ahUKEwjn_IjW4ojTAhWIWpAKHRqMDmIQ6AEIXjAM#v=onepage&q=honey%20badger%20skin%20mm&f=false

Exemplos práticos:



Alguns exemplos com outras espécies de Mustelídeos:
Texugo Americano (Taxidea taxus)



Carcaju (Gulo gulo)


Mink Europeu (Mustela lutreola) e Mik Americano (Neovison vison)





FORÇA

Aliada ao item resistência tornam os mustelídeos proporcionalmente combatentes difíceis de serem batidos.
Neste caso mostrasse com maior propriedade em Carcajus e Texugos, estes últimos sendo máquinas de escavação, necessitando principalmente, além de grandes e fortes garras, de bastante força principalmente nas patas/membros dianteiros. A simbologia é tamanha, tanto que na África do Sul também aliado ao comportamento do animal, existe um Tanque de Guerra com o nome “Ratel 20”.
Não é simples mensurar a força dos mustelídeos, porém recentemente tivemos exemplos práticos do próprio Ratel:  




“Quando o texugo de mel se aproximou da carcaça, a cabeça do Impala morto estava de frente para a estrada. Este claramente não atender seus planos. Afundou os dentes no estômago do Impala, e então, como um daqueles minúsculos rebocadores que de alguma forma gira em torno de um navio de cruzeiro gigante, rapidamente girou o impala em torno de 180 ° com uma facilidade surpreendente. Eu sempre soube que os texugos de mel eram coisas viciosas, mas eu não tinha ideia de que eles estavam em qualquer lugar tão poderoso como este. No entanto, isso foi apenas o aquecimento.
Com a carcaça agora virada para a direção oposta, o texugo de mel agarrou-o pelo pescoço e, como um cão com um cobertor na boca, arrastou a carcaça - que provavelmente pesava 50 ou 60 quilos - mais para dentro do mato com tanta facilidade Que mal podíamos acreditar no que estávamos vendo.”
Em detalhes e com a fonte:
https://www.facebook.com/groups/456629581188284/permalink/651744558343451/

E o outro caso:
Ratel ou Texugo do Mel virando facilmente e com um (ainda não tenho certeza se foi com um só braço, mas mesmo que tenha sido feito com os dois pela facilidade que girou merece destaque) ao final do vídeo um Microondas de uns 16 kg (30 L):


Comentários comparativos: No primeiro registro na presa de Impala abatida por um Leopardo, considerando o peso médio do Ratel (10 kg na média, considerando machos e fêmeas) ele moveu segundo as descrições com facilidade e até girou a carcaça em 180 graus e depois arrastando, carcaça essa estimada a ser entre 5 e 6 vezes o seu peso.

Comparativamente, isso equivale a um Tigre macho parrudo de 250 Kg arrastando e girando com facilidade (teoria) uma carcaça de Gauro de 1.250 kg (ou 1,25 Toneladas) à 1.500 kg (ou 1,5 Toneladas)! Sei que tem um caso parecido justamente com esses dois grandes animais envolvidos (que era o caso onde foram precisos uns 12 homens para arrastar a mesma carcaça), só não sei se o Tigre o fez com a aparente mesma facilidade descrita no caso do Ratel!!

“Owwwww”




Agora o segundo caso do vídeo, não parece, mas é proporcionalmente impressionante, principalmente pela facilidade com que o Microondas é virado/jogado ao final do vídeo (com o peso estimado de 16 kg, o Microondas pesa em média 1,6 vezes mais do que o Texugo). Tal cena pode ser comparada com essa:
A cena do Urso movendo a pedra com um só braço estimada a pesar 306 kg ao final do vídeo:


Realmente é digno e louvável a força do Urso, mas só para termos base, comparativamente é como se um Urso de 300 Kg movesse com facilidade (ainda não tenho certeza se com as dois braços dianteiros ou somente um, mas mesmo que seja com os dois) uma pedra de uns 480 kg e ainda fazendo a mesma dar pelo menos uma leve volta no ar (saindo do chão), como aconteceu com o Microondas. Ele é capaz também? Pode ser, mas no mínimo podemos dizer que é uma força proporcional bem alta.

Foto Bônus para dar uma aliviada na seriedade:



Outro caso, na verdade esse só tem evidências e fotos, mas são fotos posteriores, em resumo: Um  Leopardo Macho achou uma Píton de 4 metros presa em cima de uma árvore e teve dificuldade para removê-la dali, segundo o Guia, ela foi predada na noite anterior e suspensa por um Ratel ou Texugo do Mel, trechos principais:

“Foi então que fomos informados pelo nosso ranger, que tinha falado com outro sobre o avistamento, que uma câmera armadilha tinha captado imagens de um texugo de mel arrastando a serpente maciça passado, na noite anterior.”

“Era difícil imaginar um Texugo do mel relativamente pequeno arrastando este píton maciço de quatro metros, e muito menos elevando-o nos ramos de uma árvore. No entanto, o ranger lembrou e garantiu-nos que isso era realmente possível, e que texugos de mel são imensamente poderosos e são conhecidos por esconder a presa em árvores.”

Fotos principais do caso:




Fonte completa: https://africageographic.com/blog/leopard-steals-honey-badgers-giant-python/

Comentário: Bom, “pelo sim ou pelo não” cabe mais um comparativo, uma Píton de 4 metros segundo conversas com meu amigo e grande criador deste e de outros Grupos sobre animais Otniel, estimamos que uma píton Africana como essas tenha o peso estimado entre 30 e 35 kg – Média de 32,5 Kg.
Considerando a média de 10 kg do Ratel, isto da 3,25 vezes seu peso, ou seja, comparativamente /teoricamente/matematicamente, isto equivale (vamos usar o exemplo do próprio Leopardo, já que envolveu árvores) a um Leopardo macho de 70 Kg içar para uma árvore uma presa de 227,5 Kg aproximadamente!!!

Outros casos:

Arminho movendo um pequeno Coelho abatido ao final do vídeo com facilidade:

E neste caso um Coelho já maior, estimo que pelo menos umas 3 vezes seu peso, para mais:



O caso da Ariranha semi cega chamada Buddy, já postado no decorrer do material, ele trouxe para a margem um Pirarucu de uns 40 kg, segundo o material, que foi esse da foto, todavia comparativamente a ele parecia até maior:  




RESISTÊNCIA A PEÇONHA

Separei este item a parte, apenas como observação, pois aliado a pele grossa que ajuda a suportar picadas/mordidas, também existe uma resistência natural do corpo de alguns mustelídeos mais adaptados a predar animais peçonhentos. No caso mais comum/usual a que temos informações, também se aplica ao Ratel, e como visto no documentário “A Vida Secreta do Texugo do Mel” ele não nasce com essa resistência desenvolvida, assim como as habilidades de caça são desenvolvidas, essa resistência também é, através de inúmeras picadas absorvidas.

Neste caso como a maioria já conhece bem os vídeos antigos da predação do Ratel em Najas do Cabo e no mesmo documentário aquela cena onde ele leva uma mordida na face de uma Víbora Biúta, onde ele da uma apagada e depois retorna para devorá-la, apenas ilustrarei com fotos essas predações em animais peçonhentos:
Ratel predando Naja do Cabo (Naja nivea) (que tem peçonha Neurotóxica, ou seja, em resumo paralisa o sistema nervoso, respiratório e o coração das vítimas, resultado em morte):


Ratel predando Víbora Biúta (Bitis arietans) (é a cobra que mais mata pessoas na África, devido a ser mais comum e se camuflar melhor, elas apresenta peçonha citotóxica, em resumo em seres humanos pode derreter o tecido, formar edemas ou pior, necroses, causando a perda da área afetada, e pior, coagulação e hemorragia significativa e/ou hipotensão, resultado em morte), o caso abaixo é o mesmo já citado, onde o Ratel leva uma picada dessas na bochecha, apaga por um tempo e depois desperta para devorar a Víbora:


Texugo Americano (Taxidea taxus) com Cascavel (Crotalus)



Última edição por Daniel T em Sex Abr 28, 2017 4:38 pm, editado 3 vez(es)
avatar
Daniel T
Admin

Mensagens : 1114
Data de inscrição : 28/10/2011
Idade : 32
Localização : Curitiba

Ver perfil do usuário http://territorioselvagem.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

ODOR

Mensagem  Daniel T em Qui Abr 27, 2017 4:39 pm

ODOR



Mais um item que merece ao menos algumas rápidas considerações por ajudar a elevar as capacidades defensivas, em alguns casos auxiliando até em predações, como já fora relatada com o Ratel, utilizando o odor contra colmeia das perigosas abelhas africanas.

Em maioria, o odor pungente (presente em mustelídeos como o Carcaju, Ratel, Mink, etc) serve para afastar ameaças, somado é claro ao comportamento intimidador que é uma das linhas de frente, alguns poucos mustelídeos conseguem até esguichar o odor na ameaça, assim como seus parentes da mesma superfamília (Musteloidea) (mais especializados nessa arte), os Mephitídeos, como o Cangambá (Mephitis mephitis) como o mais conhecido deles.

Só por curiosidade, utilizando o próprio Cangambá como exemplo comparativo, o odor deste foi comparado por Ernest Thompson Seton a uma mistura de perfume almiscarado, essência de alho, queima de enxofre e gás de esgoto "ampliado mil vezes".
Não é das melhores fontes, mas: https://en.wikipedia.org/wiki/Striped_skunk
Fora postado apenas para dar uma base do odor, que pode ser especialmente mais sentido por animais de faro mais apurado como canídeos e ursídeos.

Algumas considerações comparativas:
Mink (Neovison vison)
“O cheiro produzido por essas glândulas perfumadas foi descrito por Clinton Hart Merriam como mais insuportável do que aquele produzido por cangambás e acrescentou que era uma das poucas substâncias, de origem animal, vegetal ou mineral, que tem, em terra Ou mar, me faziam consciente da existência da abominável sensação chamada náusea.”
https://en.wikipedia.org/wiki/American_mink

Doninha Listrada (Ictonyx striatus) – um dos poucos mustelídeos que podem esguichar/”espirrar” o odor nas ameaças:
“A Doninha Listrada aparece no livro de Guinness dos registros animais, que indica que um indivíduo uma vez afastou nove leões de uma presa emitindo seu odor fétido original, para ilustrar a alegação de que é de fato o animal com o pior cheiro”.
http://www.jukani.co.za/index.php?comp=content&id=6
Foto demonstrativa da mesma abaixo entrando em posição defensiva:



Última edição por Daniel T em Qui Abr 27, 2017 4:48 pm, editado 1 vez(es)
avatar
Daniel T
Admin

Mensagens : 1114
Data de inscrição : 28/10/2011
Idade : 32
Localização : Curitiba

Ver perfil do usuário http://territorioselvagem.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

MORDIDA (Dentição e Força)

Mensagem  Daniel T em Qui Abr 27, 2017 4:40 pm

MORDIDA (Dentição e Força)

Este é um dos itens mais interessantes e relevantes, visto que é uma arma comum tanto usada para defesa (contra predadores maiores), como para ataque (predações).
Os mustelídeos apresentam arcadas dentárias bem distintas, cada uma delas adaptada a dieta desses animais.

Alguns mais notáveis:

O Carcaju (Gulo gulo) apresenta grande desenvolvimento dos dentes carniceiros, possuindo informações curiosas como essa:

Outro Estudo

Tabela 1 1: Resumo das Linhas de melhor ajuste para a correlação entre o quadrado mot
Da força de mordida máxima estimada e da largura máxima do crânio.
Maximum Estimated Bite Force, Skull Morphology, and Primary Prey Size in North American Carnivores
Página 65
Tabela resumida com os destaques em vermelho:

Material completo: http://www.nlc-bnc.ca/obj/s4/f2/dsk1/tape2/PQDD_0014/MQ61307.pdf

Comentário: Esse estudo baseado em cálculos aponta dados interessantes também (nestes casos, não são dados de proporcionalidade, mas sim realidade estimada), podemos notar, segundo o material, índices notáveis considerando o portes deles, animais como a Marta Pescadora ou Fisher (Martes pennanti) que pesa de 2 a 5 kg  pode morder com força superior as raposas (que podem passar de 9 kg) ali descritas e a um nível muito próximo dos Linces (que podem passar tranquilamente dos 10 Kg) e o Wolverine (Gulo gulo) supera até mesmo o Coiote que pode ultrapassá-lo em tamanho e em peso médio e máximo no Canadá.


Na questão de proporcionalidade (força da mordida em relação ao massa do animal) também exite um estudo baseado em cálculos dando algumas estimativas:
Alguns anos depois, Stephen Wroe e Per Christiansen fizeram outro estudo (e neste alguns resultados foram diferentes nos animais que tinham no primeiro estudo) assim, só que dessa vez considerou os mamíferos da Ordem Carnívora.

O Artigo On-line aparece aqui (Dizem que nesse estudo foram utilizados 4 crânios de cada espécie para as médias e medições, mas eu não conferi isso).

http://www.academia.edu/239888/Bite_forces_and_evolutionary_adaptations_to_feeding_ecology_in_carnivores_Ecology_
Para os animais com alimentações e ecologias diferentes, pode-se esperar que a força de mordida represente uma importante adaptação evolutiva, mas estudos têm sido limitadas pela falta de dados da força da mordida. Neste estudo, apresentamos as previsões das forças de mordida de 151 espécies de carnívoros existentes, composto por representantes de todas as oito famílias e todo o tamanho e espectro ecológico dentro da ordem. Mostramos que, quando normalizado pelo tamanho do corpo, as forças de mordida diferem significativamente entre as diversas categorias alimentares. Em extremos opostos e independentes da genealogia, os consumidores de material vegetal fibroso e resistente e carnívoros que se alimentam de grandes presas, ambos têm forças de mordida de alta para o seu tamanho, enquanto a força de mordida ajustada para a massa corporal é baixa entre os insetívoros especializados. Onívoros e carnívoros alimentando-se de pequenas presas, têm forças de mordida mais moderada para o seu tamanho. Estes resultados indicam que as diferenças na força de mordida representam adaptações importantes e indicadores de diferentes ecologias de alimentação ao longo da evolução. Nossos resultados sugerem que a incorporação de dados da força de mordida pode auxiliar na construção de análises evolucionárias mais robustas e paleontológicas da ecologia alimentar.


Alguns Trechos principais:
(Desta vez teremos dois quocientes BFQ´s diferentes (Mordidas Proporcionais):

Legenda

*Forças de mordida Média nos caninos (BFca)
*Forças de mordida Média nos Dentes Carniceiros (BFcarn)
*Massa corporal (BM),
*Quocientes de força de Mordida nos caninos (BFQca)
*Quocientes de força de Mordida nos Dentes Carniceiros (BFQcarn)

*Categoria da dieta (D) em 151 espécies de carnívoros.

Nota: as categorias das dietas: 1, herbívoros (incluindo frugívoros), 2, onívoros, 3, piscívoros, 4, carnívoros, pequenas presas, 5, carnívoros, caça de médio porte, 6, carnívoros, a grande rapina, 7, insetívoros.
Os cães domésticos apenas os grandes espécimes selvagens ou semi-selvagens, neste caso, dois cães da Groenlândia e três dingos. Alguns
autores (MacDonald e Sillero-Zubiri 2004) consideram o dingo a ser uma espécie separada.







O destaque é claro, está aqui:


Comentário: Este é um estudo mais a nível de curiosidade mesmo na minha opinião, pois sabemos que animais como Hienas Malhadas e Onças Pintadas (mais conhecidos) deveriam estar com índices maiores por exemplo, no entanto estão abaixo de alguns membros da própria família.
No entanto, achei interessante deixa-lo aqui como material complementar.


E finalmente, uma terceira informação e talvez a mais curiosa:

The Natural History of Canadian Mammals
Por Donna Naughton,Canadian Museum of Nature
Página 471


"Wolverines são chamados de Hienas na América do Norte. Eles são os que limpam/consumem (presas) com mandíbulas e dentes extremamente poderosos que lhes permitem esmagar os ossos e se alimentar de carcaças congeladas e, como as hienas africanas, também são predadores capazes.
"... Suas mandíbulas são especialmente fortes e os dentes são grandes e poderosos, particularmente os dentes carniceiros (o quarto pré-molar superior e o primeiro molar inferior). Sua força de mordida semelhante à de hienas malhadas ... "

https://books.google.com.br/books?id=9IlOhvOAIb4C&pg=PA471&lpg=PA471&dq=gulo+gulo++large+teeth+and+powerful+jaws&source=bl&ots=LVlFrAWeUo&sig=dxI3Y7LKR0DPLFmFBJd89CQEQ4Q&hl=pt-BR&sa=X&ved=0ahUKEwjPhsb3zovTAhXFGZAKHbNgCTQQ6AEITjAJ#v=onepage&q=gulo%20gulo%20%20large%20teeth%20and%20powerful%20jaws&f=false

Comentário: Eu realmente não sei se chega a tamanha força como o descrito, só saberemos realmente se ela for medida com aparelhos de pressão (se sim, Addy surta!!), mas uma coisa é certa, que ela tem realmente que ser uma mordida forte para comer ossos e carne congelada, isso tem mesmo.


DENTIÇÃO

Tão importante ou mais do que a força da mordida, é a dentição, no caso dos mustelídeos ela é consideravelmente diferenciada entre algumas espécies, tudo em virtude da dieta variada, seja ela onívora, carnívora ou piscívora, seja generalista ou considerada mais especializada.

Abaixo postarei fotos (retiradas das postagens do meu amigo Otniel Araújo) com comentários de algumas das mais notáveis e diferentes espécies:
Ariranha (Pteronura brasiliensis)


Comentário: Podemos notar o grau de afiação desenvolvido dos dentes, próprios para agarrar peixes, mas também servindo para triturar, exemplo disso podemos notar na dieta comum delas envolver peixes de couraça como Cascudos.
Lontra Marinha (Enhydra lutris)


Aqui já podemos notar grande diferença para a dentição da Ariranha, neste caso a Lontra Marinha desenvolveu mais o masseter e os dentes inferiores são bem largos e fortes, próprios para comer alimentos mais duros.

Doninha Marmoreada (Vormela peregusna)




Comentário: Alguns pequenos mustelídeos predadores como esse tem os caninos proporcionalmente grandes, poderia ser considerado a “Pantera Nebulosa” dos mustelídeos.

Visão Americano ou Mink (Neovison vison)


Comentário: Esse foi só um complemento para mostrar que animais como o Visão também tem caninos proporcionalmente grandes, bem como uma dentição afiada no geral.

Carcaju, Wolverine ou Glutão: (Gulo gulo)


Comentário: Aqui podemos notar claramente que o desenvolvimento proporcional dos dentes está voltado para grossura e espessura, que são altos, tantos nos caninos, como especialmente nos dentes carniceiros, o que, como comentado sobre a força da mordida o ajuda bastante para comer alimentos duros como ossos e carne congelada, bem como também ajudam nas predações.


Última edição por Daniel T em Qui Abr 27, 2017 4:48 pm, editado 1 vez(es)
avatar
Daniel T
Admin

Mensagens : 1114
Data de inscrição : 28/10/2011
Idade : 32
Localização : Curitiba

Ver perfil do usuário http://territorioselvagem.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

GARRAS

Mensagem  Daniel T em Qui Abr 27, 2017 4:41 pm

GARRAS

Mais um relevante item que auxilia em diversas funções a depender da espécie de Mustelídeo, elas estão é claro mais condicionadas ao dia a dia/hábitos das espécies e suas necessidades, também sendo bastante variadas no tamanho e formato. Alguns exemplos com fotos e comentários:
Marta Pescadora (Martes pennanti)



Comentário: Alguns mustelídeos como a Marta Pescadora (gênero Martes) tem garras retráteis ou semi-retráteis, curvas e afiadas como as garras dos felídeos, adequadas para uma vida mais arborícola, mas também atendendo a outras funções como a predação (auxilia ao agarrar as presas).


Ratel (Mellivora capensis)



Comentário: Animais escavadores como o Ratel e os outros Texugos costumam apresentar proporcionalmente grandes e fortes garras dianteiras, servindo bem a principal função. Todavia também são utilizadas para outras funções, como a escalada, por exemplo.

Ariranha (Pteronura brasiliensis)



Comentário: Como a própria imagem entrega, a maioria das lontras possui garras afiadas (elas não ficam muito aparentes por causa das membranas interdigitais que são muito importantes para nado e mergulho) que as auxiliam para segurar suas presas costumeiras. Todavia, essas garras também são importantes para auxiliar na escavação de tocas nas barrancas de rios que servem de abrigo principalmente para os filhotes.
Obs: Vale lembrar que algumas lontras como a Lontra Africana sem garras (Aonyx capensis) consegue ter hábitos costumeiros parecidos em “via de regra” e também serem bem sucedidas em predações, por exemplo.

Arminho (Mustela erminea)


Comentário: Não parece grande coisa, isso porque muitos mustelídeos do gênero Mustela possuem garras retráteis e afiadas (com função primária em agarrar suas presas, mas também podendo servir a outras funções), em proporção como as garras de um Leão!!

“Não diga isso!”




Veja abaixo elas retraídas:  






Última edição por Daniel T em Sex Abr 28, 2017 10:51 am, editado 2 vez(es)
avatar
Daniel T
Admin

Mensagens : 1114
Data de inscrição : 28/10/2011
Idade : 32
Localização : Curitiba

Ver perfil do usuário http://territorioselvagem.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

INTELIGÊNCIA

Mensagem  Daniel T em Qui Abr 27, 2017 4:42 pm

INTELIGÊNCIA

Temos que considerar que neste item faltam muitos estudos específicos, todavia temos alguns belos exemplos que mostram que alguns mustelídeos ao menos, possuem (abrindo uma rápida exceção e citando um animal fora da Ordem Carnivora) uma alta inteligência, sendo capazes de utilizar ferramentas, assim como os Chimpanzés.

Existem animais que fazem isso no dia a dia também, como as Lontras Marinhas (Enhydra lutris).

Aqui temos exemplos práticos da utilização de ferramentas (o exemplo mais clássico, a utilização de um objeto duro para quebrar/abrir/descolar um alimento “duro”):



Mais desmontrações:


Outras espécies de Lontras também demonstram sua inteligência aprendendo truques com humanos e apresentando em shows:


E um outro exemplo que tem se destacado devido as evidências práticas é o Ratel (Mellivora capensis) também com a utilização de ferramentas para resolver problemas:

Neste primeiro vídeo na Índia o Ratel, ao não alcançar um ninho de passarinhos utiliza um pedaço de tora como escada para alcança-los:


E neste é na África do Sul, em cativeiro, o Ratel macho chamado Stoffel e sua parceira (uma fêmea) utiliza diversos meios para escapar do Recinto (desde escavação/escalada até utilização de ferramentas diversas utilizadas como ponte), e talvez na cena mais impressionante, os dois conseguindo até mesmo abrir um cercado com fechadura. Para quem não viu, tudo é mostrado aqui:


Comentário Pessoal 1: Embora a maioria dos mustelídeos não apresente visualmente grandes crânios em relação ao corpo, em casos como o do Texugo do Mel por exemplo, o espaço do crânio destinado ao cérebro é proporcionalmente grande. Podemos ter uma noção abaixo, na minha opinião essa diferença se mostra comparativamente com os próprios membros da família:
Vejamos Abaixo: Texugo Euroasiático (Meles meles), Ratel ou Texugo do Mel (Mellivora capensis)  e Texugo Americano (Taxidea taxus):



Comentário Pessoal 2: Como podemos notar, acredito que não temos muitos motivos para não elencarmos alguns mustelídeos com inteligência individual rivalizável à ursídeos, no meu ver no Topo na Ordem Carnivora.
Foto Bônus para dar uma aliviada na seriedade:



Comentário Pessoal 3: Em inteligência grupal, as lontras pelo demonstrado podem também ter esse ponto em alto destaque, mas faltam estudos. Sabemos que até então na Ordem Carnivora esse título de inteligência deve pertencer às Hienas Malhadas, em estudo já apontado seria rivalizável com a inteligência dos Chimpanzés. Mas podemos estar “esquecendo” das Lontras...

Uma das fontes falando da Inteligência das Hienas:

https://scitechdaily.com/hyenas-might-be-as-intelligent-as-some-primates/


“Eu gostei dessa parte!!”




Última edição por Daniel T em Sex Abr 28, 2017 12:52 pm, editado 3 vez(es)
avatar
Daniel T
Admin

Mensagens : 1114
Data de inscrição : 28/10/2011
Idade : 32
Localização : Curitiba

Ver perfil do usuário http://territorioselvagem.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

CAPACIDADE DE PREDAÇÃO/ABATE/ALIMENTAÇÃO

Mensagem  Daniel T em Qui Abr 27, 2017 4:42 pm

CAPACIDADE DE PREDAÇÃO/ABATE/ALIMENTAÇÃO

Resolvi deixar este item por ultimo, pois sabemos que todas as características já citadas tem um fim em comum na natureza: Alimentação!!


Como já vimos no item “Dentição”, a dieta dos mustelídeos é consideravelmente diferenciada entre algumas espécies, podendo ser onívora, carnívora ou piscívora, e generalista ou considerada mais especializada.

Aqui são serão abordados alguns casos geralmente mais ocasionais, extremos e/ou raro, apenas para exemplificar e mencionar a capacidade predatória, e também para deixar o material resumido.

Obs: Já vimos parte deste mesmo assunto incluso nos Itens Resistência e Força, então aqui iremos abordar de forma mais direta, também exemplificando com outras espécies:

MATAR DEMASIADAMENTE

Esse é um item que rapidamente será abordado, apenas para mencionar que alguns mustelídeos tem hábitos de matar demasiadamente quando dada a oportunidade, ou seja, matar bem além daquilo que precisariam comer. Vale lembrar que esse comportamento também pode estar presente em outras espécies de predadores.

Vou deixar somente 2 animais como exemplos:

Ratel (Mellivora capensis):

Tal como outros mustelídeos, eles podem ser impulsionados a matar quando for dada a oportunidade, por vezes resultando em que matem mais presas do que eles podem comer.

Como exemplos:

Teve um caso de ataque de Ratel numa criação de Aves, onde resultou na morte de 17 Patos e 36 frangos (galinhas, galos) (encontra-se descrito na Wikipedia em inglês);
“Em uma ocasião no sul do Kalahari, um texugo masculino que pesava onze quilogramas consumiu pelo menos seis quilogramas de carne em um dia compreendendo quatro grandes Cobras Toupeiras adultas, duas víboras e sete ratos. No dia anterior o mesmo macho tinha comido dois quilos e meio e no dia seguinte comeu mais de três quilos e pegou mais duas Najas do Cabo que ele matou, mas abandonou acima do solo antes de entrar em uma toca para descansar.”

Fonte: Artigo N.A.P.A.K. - http://archive.li/ysBpt#selection-793.1-793.1035

Wolverine (Gulo gulo)

“Como outros mustelídeos, eles podem ser um pouco motivados a matar quando for dada a oportunidade, resultando em matar mais presas do que eles podem comer ou armazenar. Os Wolverines foram sabidos para matar um grande número de renas cativas na neve profunda, simplesmente porque as renas não puderam escapar.”
Fonte: ADW - http://animaldiversity.org/accounts/Gulo_gulo/


MASSA EM RELAÇÃO AO PESO

Desconsiderando o item periculosidade da presa, teremos alguns mustelídeos do gênero Mustela com destaque considerável neste quesito. Mesmo podendo visar presas mais jovens, às vezes ou por vezes predam adultos também.

O principal mustelídeo e que mais aparece em vídeos predando as maiores presas em relação ao peso é o Arminho (Mustela erminea), no caso, predando o Coelho Europeu (Oryctolagus cuniculus).

Vemos isso em vídeos já postados, como esse (geralmente ele aparece com seu nome em inglês nos vídeos, que seria Stoat:


Foto exemplificando:




Comentário pessoal/comparativo: Bom o Arminho segundo fontes como Adw e Arkive.org tem seu peso variado mesmo entre essas fontes geralmente mais confiáveis, segundo a fonte Arkive ele pesa de 140 a 445 gramas, algumas fontes como a ADW entregam até pesos menores, mas vamos considerar esse peso maior para o exemplo:

O Coelho Europeu (Oryctolagus cuniculus) segundo também a fonte Arkive.org tem seu peso variando entre 1,3 e 2,5 quilos. Fazendo uma média dessa variável (1,3 + 2,5 = 3,8 dividindo por 2=) teríamos 1,9 Kg.

O Arminho fazendo uma média geral entre machos e fêmeas (140 gramas + 445 gramas = 585 gramas dividindo por 2 =) teríamos 292,50 gramas.

Considerando esses pesos médios gerais de predador e presa teremos 292,50 gramas para 1,9 Kg. Ou seja, nesta comparação (divindo 1,9 kg ou 1.900 gramas por 292,50 gramas) o Coelho pesaria cerca de 6,49 vezes mais que o Arminho.

Comparativamente, seria o mesmo que uma Leoa (Panthera leo) de 130 kg sozinha abatesse em terra um enorme Búfalo Africano Macho saudável (Syncerus caffer), só que de comportamento mais passivo (hipótese) pesando cerca de 843,70 Kg. (e talvez o mais interessante, que isso fosse feito com certa regularidade!!)


Todavia, temos um caso mais extremista ainda, que é a Doninha Anã (Mustela nivalis) também predando coelhos:



Fonte da foto: http://www.arkive.org/weasel/mustela-nivalis/image-A15021.html
Demonstração em taxidermia: 43


Comentário pessoal/comparativo: Bom a Doninha Anã segundo fontes como Arkive.org tem seu peso entre de 55 a 131 gramas.
Podemos considerar a mesma espécie de coelho no exemplo, embora existam outras, considerando que essa Doninha também coabita com essa espécie de Coelho, dentre outras. Seguindo os mesmos exemplos de cálculos do Arminho, teremos:

Média geral de peso da Doninha Anã segundo os dados da Arkive = 93 gramas

Média geral de peso do Coelho (igual exemplo anterior) = 1,9 Kg

Diferença: O Coelho pesou em média 20,43 vezes mais do que a Doninha Anã.

Comparativamente, seria o mesmo que um grande Tigre de Bengala Macho (Panthera tigris) pesando cerca de 250 Kg abatesse um grande Elefante Asiático macho saudável (Elephas maximus) mas também com comportamento passivo, com cerca de 5.107,5 kg ou 5,10 Toneladas!! (e talvez o mais interessante, que isso fosse feito com certa regularidade!!)

“Regularidade?? A para owww”




PRESAS PERIGOSAS X BIOMASSA

Lontras

Sabemos que a maiorias das lontras (ao menos de água doce) se alimenta quase que exclusivamente de peixes (lembrando que em tópicos anteriores já foi postado um pouco disso com a Ariranha predando Pirarucu e Arraia), todavia, ocasionalmente e/ou raramente podem mudar o cardápio, em alguns casos para predadores considerados agressivos.

Vou citar os dois principais casos para exemplificação:

Lontra de rio Norte Americana (Lontra canadensis):


Fonte: http://news.nationalgeographic.com/news/2014/03/140306-otter-alligator-florida-predator-photos-wildlife/

Em resumo, a Lontra matou um pequeno Aligator Americano (Alligator mississippiensis),.

Comentário pessoal: Pequeno Aligator é um termo certo logicamente para a espécie que fica grande, para em comparação a Lontra o tamanho é considerável já, ainda mais pelas cabeças dos dois nas fotos que parecem tamanhos parelhos.

Comparativo: Eu diria que é um comparativo digno do que o Jaguar (Panthera onca) faz no Pantanal com Jacarés, lógico que no caso dele com mais frequência.
Lontra lisa (Lutrogale perspicillata)
Predação do lagarto do monitor da água (Varanus salvator ) pela Lontra lisa (Lutrogale perspicillata) na Malásia Peninsular




Artigo Postado em detalhes aqui: https://www.facebook.com/groups/456629581188284/search/?query=lagarto

Comentário pessoal: Esse é o Segundo maior Lagarto do Mundo, ficando atrás apenas do Dragão de Komodo. A Lontra em questão pesa de 7 a 11 kg. E esse Lagarto as fontes de peso dele são escassas, mas estimo que ao menos 15 kg a 20 Kg um adulto possa bater. Na segunda foto ele realmente parece maior que a Lontra em comprimento, mas talvez nem seja em peso.

Comparativo: Devido a essa questão peso ser variável demais no Lagarto, vou deixar o comparativo apenas mencionando que é como se fosse também um Jaguar abatendo um Jacaré aparentemente maior do que ele mesmo.


Doninha Anã (Mustela nivalis)

Repetindo a Doninha Anã aqui, mas dessa vez contra uma presa mais perigosa:


Comentário Pessoal: Não sei se realmente é um Rato Comum aí, mas como podemos notar, ele é mais massudo, se for o Rattus norvegicus, vai pesar em média geral umas 300 gramas contra as 93 gramas de média geral já citadas anteriormente da Doninha, cerca de 3,33 vezes o peso dela. Diferentemente de um coelho, o Rato caso não consiga fugir e tiver a chance tenderá a se defender, no vídeo podemos notar que o comportamento dele não é passivo como dos Coelhos.

Comparativamente, é como uma Jaguatirica de 14 kg atacasse uma Capivara adulta de 46,62 kg, numa situação onde ela primeiramente correria, mas encurralada, a mesma lutaria bravamente por sua vida!!


Ratel (Mellivora capensis)

Este item já acabou sendo descrito em assuntos anteriores como RESISTÊNCIA e RESISTÊNCIA A PEÇONHA para animais como o Ratel (Mellivora capensis), podendo ser lá mesmo consultado, então aqui apenas ressaltando rapidamente que animais perigosos como Abelhas Africanas, Najas do Cabo e Víboras Biútas são itens frequentes na alimentação do texugo, sendo animais considerados consideravelmente perigosos.

Em relação a biomassa, temos também o caso já postado no item FORÇA, de um Abate numa Píton Africana estimada a medir 4 Metros e pesar 32,5 Kg. Aquele não é o único caso, temos um mais evidente onde o link está fora do ar, mas temos as fotos do ocorrido, e também é uma Píton descrita ter porte parecido ou até maior:







Comentário Pessoal: Uma Píton de uns 4 metros segundo conversas com meu amigo e grande criador deste e de outros Grupos sobre animais Otniel, estimamos que uma píton Africana como essas tenha o peso estimado entre 30 e 35 kg – Média de 32,5 Kg.
Considerando a média geral (fêmeas e machos) de 10 kg do Ratel, isto da 3,25 vezes seu peso, ou seja, comparativamente /teoricamente/matematicamente, isto equivale a uma Pantera Nebolusa (Neofelis nebulosa) de 23 Kg abatendo uma grande Píton Reticulada (Python reticulatus) de uns 74,75 Kg e uns 5,4 metros.

Outro caso que merece destaque sobre o Ratel foi a até então única predação confirmada no Porco Espinho do Cabo (Hystrix africaeaustralis) que eu acredito que seja um Subadulto (peso descrito da espécie geralmente de 18 a 30 kg) – Considerando que nas fotos do caso da predação aparenta ser um subadulto = Estimativa pessoal de uns 20 kg.

Fotos do ocorrido (o espinho cravado nas costas do Texugo aponta claro sinal de luta):





Fonte completa: https://africageographic.com/blog/did-this-honey-badger-kill-this-porcupine/

Comentário pessoal: Bom, neste caso não cabe comparativos com outras famílias, cabe apenas dizer que os Porcos Espinhos do gênero Hystrix tem as capacidades defensivas tão elevadas e perigosas que já foram capazes de matar predadores bem maiores como Leões e Leopardos. No entanto, no caso em questão foi abatido por um animal estimado em média ter metade de seu peso.

Marta Pescadora (Martes pennanti)
Vale lembrar que outros mustelídeos realizam esse tipo de abate em outros gêneros (no meu ver não tão perigosos como o Hystrix), como por exemplo a Marta Pescadora (Martes pennanti) no Porco Espinho Americano (Erethizon dorsatum), onde neste a diferença de peso pode ser até maior, esse Porco Espinho pode ter umas 3 vezes o peso da Marta Pescadora.
Foto adicional de um caso:



Ainda sobre a Marta pescadora, vale uma lembrança. O Artigo que cita a predação dessas Martas em Linces Canadenses, aqui encontra-se traduzido ao menos os trechos principais:

http://territorioselvagem.forumeiros.com/t7-livros-e-artigos-mustelideos#1437

Comentário Pessoal: Segundo fontes como a ADW, essa Marta pesa entre 2 e 5 kg. Já o Lince Canadense (Lynx canadensis) seguindo a mesma fonte e também a Arkive pesa entre 5 e 17 kg.

A média geral da Marta estimada fica em 3,5 kg. Já do Lince por se tratar de somente fêmeas adultas eu utilizei este artigo que desmembra as médias de peso:
http://www.env.gov.bc.ca/fw/wildlife/trapping/docs/lynx.pdf

Peso dos machos: 9 a 15 kg

Peso das fêmeas: 7 to 12 kg

Neste caso utilizando a média somente das fêmeas da a média geral (7 + 12 divido por 2) de 9,5 Kg.
Isso da a média de calculo onde essas fêmeas adultas de Lince são 2,71 vezes mais pesadas do que a Marta.

Comparativamente, seria como um Puma fêmea pequena de 30 Kg abatesse um Jaguar fêmea grande com cerca de 81,30 Kg, com a ressalva de que poderia estar enfraquecida pelo parto de filhotes e/ou que o abate seria de surpresa (não tenho certeza da ressalva por envolver mais de um caso e também por serem dois artigos da Marta/Lince).

Carcaju (Gulo gulo)

Até pelo ambiente inóspito em que vive, o Carcaju adaptou-se para ser um dos mais oportunistas predadores do Reino Animal, consumindo carcaças muitas vezes tomadas por sua capacidade de intimidação/agressividade abatidas por predadores maiores, ou simplesmente comendo restos das mesmas, quando deixados.
Todavia ele também tem suas habilidades de abate elevadas, quando dadas as oportunidades ele costuma utilizá-las. Talvez o caso mais extremo que eu tenha lido se deu no artigo que citava traduzindo “Mortalidade de alces (Alces alces) causada por wolverines na zona florestal deTerritório de Krasnoyarsk, Rússia” na página 22.

O Artigo Completo se chama “1st International Symposium on
Wolverine Research and Management”  

O Link atualmente se encontra fora do ar. Felizmente eu salvei esse Artigo em pdf, caso não consiga postá-lo aqui envio para quem quiser ver, é só pedir.

Resumo: Em resumo, como o título diz, fala que os Carcajus predam Alces na Rússia, mesmo que mais raramente, até Alces machos adultos, porém o fazem com o auxílio da neve profunda (parece citar somente um caso mais ao sul onde não teve essa condição).

Foto demonstrativa (não tem a ver com Artigo) de alimentação:



Comentário pessoal: Mesmo com esse grande auxílio, a diferença de portes é enorme:

Wolverines pesam entre 10 e 15 Kg segundo a Arkive.org (uma média geral entre machos e fêmeas de 12,50 kg) e também descreve peso parelho no artigo citado como confirmação.

O Alce da Eurasia (Alces alces) coletando de uma fonte não tão confiável, porém mais específica de região e mais singela (wikipedia em inglês) traz os pesos deste Alce entre 320 a 475 kg para os machos para as fêmeas entre 275 a 375 kg.

Média Geral = (275 + 475 / 2) = 375 Kg

Isso da uma média de 30 vezes o peso do Carcaju.

Comparativamente, é como um Leopardo Africano de 70 Kg abatesse um Rinoceronte Branco de uns 2.100 kg ou 2,10 Toneladas, numa situação de atolamento no lodo, na maioria das vezes, por exemplo.

“Tá de brinks né champs?”



Ou também, é como se somente um Leão Africano macho de 220 Kg abatesse um Elefante Africano macho dos grandes de uns 6.600 kg ou 6,6 Toneladas, numa situação de atolamento no lodo, na maioria das vezes, por exemplo.

“Mas hein??”




Última edição por Daniel T em Sex Abr 28, 2017 12:54 pm, editado 7 vez(es)
avatar
Daniel T
Admin

Mensagens : 1114
Data de inscrição : 28/10/2011
Idade : 32
Localização : Curitiba

Ver perfil do usuário http://territorioselvagem.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

CONSIDERAÇÃO FINAL

Mensagem  Daniel T em Qui Abr 27, 2017 4:43 pm

Como diria Mário Jorge Lobo Zagallo: “Não preciso dizer mais nada...” em sequência:





Por fim, agradeço a leitura e deixo um vídeo feito há bastante tempo, mas que também ajuda a mostrar um pouco sobre os Mustelídeos:



FIM

avatar
Daniel T
Admin

Mensagens : 1114
Data de inscrição : 28/10/2011
Idade : 32
Localização : Curitiba

Ver perfil do usuário http://territorioselvagem.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: MUSTELÍDEOS – SENTIDOS / CARACTERÍSTICAS / CURIOSIDADES

Mensagem  Conteúdo patrocinado


Conteúdo patrocinado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum